EMAIL CONHECIMENTO E MARKETING

CRÔNICAS DE NEGÓCIOS

Conhecimento e marketing

Mario Persona

O e-mail de um leitor chegou dizendo que meu artigo estava muito carregado no marketing. Sentiu-se invadido, talvez pela relação conhecimento X marketing ter saído desbalanceada naquele artigo. Um desequilíbrio que, na sua opinião, teria resultado em mais marketing do que conhecimento. A conclusão do leitor serve como reflexão para este artigo: "Assim os leitores vão perceber sua real intenção!" 

O fato é que nunca fiz segredo de minha real intenção. Cada artigo meu é um instrumento de marketing. E também uma lição de como uma empresa, pequena, média ou grande, pode mostrar sua cara na Internet. Com pouco ou nenhum investimento em propaganda convencional, é possível tornar-se conhecido utilizando a fórmula de disseminação de conhecimento. Distribuição, pura e simples, de amostras grátis do saber. Um presente simpático, que ajuda pessoas e gera oportunidades de negócios. 

Ao contrário da propaganda convencional – a interrupção que atrai a atenção para vender um produto — dar conhecimento cria credibilidade. Mesmo para quem não é cliente — e conheço donas de casa que adoram ler meus artigos — mas que pode ser um agente portador da mensagem. Até que esta encontre um potencial cliente. 

Seth Godin escreveu um e-book e o disponibilizou grátis em um site na Internet. A frase de impacto ali era "Roube esta idéia!". Quem quisesse podia pegar, de graça, o texto integral do livro de Seth Godin. De graça, mas com segundas e terceiras intenções. Fui até lá, imprimi o livro, li, gostei e senti uma gratidão imensa para com o autor. Se algum dia ele me oferecer algo, é provável que eu compre, pois ganhou minha confiança. Mas onde é que ele ganha? Seth responde: "Vendendo o souvenir, que pode ser o livro impresso, uma consultoria ou um curso em CD". 

Esta forma de se fazer marketing enriquece as pessoas e cria um relacionamento amigo. E usa a própria natureza da Web, que é uma imensa teia. Antes que aqueles que são caipiras como eu olhem para o telhado, aviso que estou falando da teia de aranha, o inseto cuja sobrevivência depende da habilidade de estender fiozinhos pegajosos. A aranha os leva até novos pontos de amarração, multiplica os nós, aumenta a superfície da teia e gera novos pontos de contato para pegar a mosca. Algo como a área de seus pulmões.

Não estou falando do pulmão daquele jogador de futebol que, quando indagado de sua baixa performance, respondeu: "Acabou o fôlego! Pensa que eu tenho dois pulmões?" Estou falando do duplo airbag que faz o contato do organismo com a atmosfera para a troca de gases. Experimente abrir seus pulmões, alvéolo por alvéolo, sobre uma superfície plana. Mas seja rápido para não perder o fôlego. A área interna e externa dos tecidos irá somar mais de oitenta metros quadrados. 

Se você precisa de uma área assim para fazer a troca de gases para sobreviver — sem contar aqueles que troca no elevador — o mesmo acontece com seu negócio. Precisa criar uma grande área de contato. A tecnologia permitiu a qualquer empresa criar uma área de contato com cada partícula humana do globo. E fazê-la grudar na teia, como moscas humanas. Cada uma servindo de isca para a próxima. Por isso é tão importante espalhar pela web artigos recheados de conhecimento. Os próprios leitores irão multiplicá-los pela rede, a custo zero. 

Quer ver como funciona? Veja outro e-mail que recebi de um de meus leitores, que queria enviar um artigo meu para seu pai. Pegou o artigo que recebeu por e-mail e, ao invés de clicar em "Encaminhar", clicou em "Responder". Feito isso, escreveu alguma coisa para o pai, sem perceber que estava devolvendo o e-mail para o meu endereço. Como tentou enviar ao pai, poderia ter enviado aos amigos. E estes a outros amigos, e assim por diante. Como um exército de aliados divulgando meu trabalho. 

Infelizmente nem tudo funciona cem por cento quando você deixa que outros façam propaganda para você. É impossível controlar a qualidade daquilo que irão escrever a seu respeito. Neste caso, considero que o sistema funcionou cinqüenta por cento. Mas só fiquei sabendo disto porque o rapaz enviou o e-mail para mim por engano, ao invés de enviá-lo a seu pai.

O texto que ele escreveu, e que acompanhava meu artigo, dizia simplesmente: "Oi pai, tudo bem? Conhece este Mario Persona? Todas as semanas recebo artigos dele. Alguns bons e alguns muito idiotas".

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Esta crônica faz parte dos temas apresentados em suas palestras. Veja emwww.mariopersona.com.br

Esta crônica de Mario Persona pode ser publicada gratuitamente como colaboração em seu site, jornal, revista ou boletim, desde que mantidas na íntegra as referências acima.