Criatividade no ensino, que trem é esse?

CRÔNICAS DE NEGÓCIOS

Criatividade no Ensino – Que trem é esse?

Numa época quando tudo muda, não se espera que o ensino permaneça o mesmo, ou que as escolas mudem apenas o ensino que o ensino ensina. As instituições mais atentas para as necessidades mutantes do ambiente em que vivemos investem em um futuro de criatividade. Desenvolvi um trabalho sobre isso com o corpo docente da Universidade Anhembi-Morumbi e escrevi uma crônica exclusiva para a revista Momento publicada pela Universidade.

Criatividade no Ensino - Palestrante Mario Persona

What is this, what is that?
It’s a table, it’s a chair;
What is that Mister Payne?
It’s a big airplane.

What is that, what is this?
It’s a book, it’s a kiss;
What is that silver chain?
It’s a subway train.

Era assim que eu começava minhas aulas de inglês no Colégio Estadual Moisés Nunes Bandeira, em Alto Paraíso, Goiás. O ano? 1979. A razão de estar ali? Mudar o mundo. Era só isso o que me propunha a fazer quando mal tinha completado 24 anos de vida, menos da metade dos que já colecionei até aqui.

Uma espécie de Projeto Rondon privado e acalentado fizera com que eu engavetasse um diploma de arquiteto ainda fresco — o diploma — e partisse paitrocinado para o sertão de Goiás numa Kombi repleta de tralhas e sonhos. Lá eu aprenderia que o mundo é muito grande para ser mudado, mas as pessoas não. Mesmo sendo maiores do que o mundo.

Meu primeiro desafio era fazer aquela garotada — a maioria nascida e criada virgem de TV — aprender a falar inglês. Além de soletrar Matemática, viajar de Ciências e discutir Organização Social e Política Brasileira, quando ainda era proibido colocá-la em discussão no ano em que Geisel saía e Figueiredo entrava…
(Este artigo foi publicado com exclusividade para a revista Momento. Para continuar lendo, acesse aqui a versão em PDF.)

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Esta crônica faz parte dos temas apresentados em suas palestras. Veja em www.mariopersona.com.br

Esta crônica de Mario Persona pode ser publicada gratuitamente como colaboração em seu site, jornal, revista ou boletim, desde que mantidas na íntegra as referências acima.