CRÔNICAS DE NEGÓCIOS

Pra ver a banda larga passar

Mario Persona

Quem gostaria de saber como seria o ano 2000 teve sua curiosidade satisfeita sem maiores contratempos. Quem se preocupou pouco com o bug não teve grandes problemas. Quem se preocupou muito ficou com um problemão para resolver. Descobrir como consumir tanta comida em conserva e queimar tantas velas armazenadas. Nos Estados Unidos, após a virada do ano algumas instituições de caridade sugeriam que a comida fosse doada para os menos favorecidos. Só não estavam aceitando as armas, roupas camufladas e os kits de sobrevivência na selva, daqueles que esperavam pelo pior.

Após a virada do ano, a expressão mais usada nas empresas era “o pior já passou”. A mesma usada por um amigo que, após a cerimônia de casamento, exclamou aliviado: “O pior já passou!”. Engano. Quem é casado sabe que os problemas só estavam começando. Após meses envolvidas com medidas contra o bug, as empresas começaram a olhar a Internet com mais carinho. Descobriram que esta não era mero entretenimento, mas que se podia até fazer compras por meio dela. Mas se o cliente já ia à loja via Web, como é que a loja chegaria à fábrica? E a fábrica até a outra fábrica? Enquanto o varejo aproveitava o recreio para festejar os negócios virtuais, era chegada a hora da prova dos negócios entre empresas.

Duas tendências fortes acabaram definindo o cenário: a conexão permanente e a banda larga. As empresas com Internet 24 horas sabem da influência que isto tem nos negócios e na cultura da empresa. A disponibilidade da informação imediata, a facilidade de comunicação interna e externa, e a possibilidade de se integrar a fornecedores e clientes, são elementos de uma nova cultura empresarial. Imagine tudo isso dentro de uma comunicação de dados mais rápida. Os benefícios mais evidentes ficam por conta de uma maior terceirização de serviços de informação que exijam grandes volumes de processamento de dados.

Para o usuário doméstico, a aposta da indústria de entretenimento é que a banda larga transforme a Internet em uma TV interativa. Vamos com calma, pessoal. É importante lembrar que Internet já surpreendeu muita gente. Mesmo com a possibilidade de vídeo em tempo real, acredito que o mouse não irá virar um mero controle de canais. Quem me mostrou isso há poucos dias foi minha filha. Quando perguntei por que estava jogando fora algumas apostilas e trabalhos da faculdade, respondeu: “Se precisar, eu pego na Internet”. Sempre haverá uma Internet ali, pronta para ser pesquisada, lida, e utilizada como meio de comunicação entre pessoas.

Vamos adiantar o relógio e imaginar que você já tenha uma conexão em banda larga. Você gosta de gatos e acessa o site do Discovery para assistir um documentário fantástico sobre felinos. Visita o site da Britannica e aprende tudo sobre os bichanos em uma enciclopédia multimídia, com direito a vídeo em 3D, miados e até cheiro de pelo molhado. Entra em uma loja virtual de produtos para animais e uma vendedora aparece na tela oferecendo um tapa-ouvidos para você conseguir dormir ao som de ninhadas ou fêmeas no cio. Satisfeito? Não. Você irá querer pesquisar mais e achará aquele site da dona Fernanda, com uma receita incrível para evitar queda de pelos em seu bichano. E vai querer participar da lista de discussões felinas que ela promove, só para aprender e conhecer pessoas. Sem vídeo, sem som, sem estúdio, sem comerciais ou artistas de Hollywood, sejam eles gatos ou gatas.

Acredito que a Internet continuará a nos surpreender. Se ela tivesse começado nas mãos dos grandes conglomerados de comunicação, tudo teria sido diferente. Estaríamos assistindo Internet, ao invés de entrando nela. Mas não foi assim. Apesar dos maciços investimentos, da alta tecnologia e do dilúvio de conteúdo hollywoodiano que fatalmente invadirá uma Internet de banda larga, a rede continuará com aquelas características peculiares que já conhecemos. Porque até as crianças sabem que às vezes é mais gostoso brincar com a caixa do que com o moderno brinquedo a pilha.

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Esta crônica faz parte dos temas apresentados em suas palestras. Veja emwww.mariopersona.com.br

Esta crônica de Mario Persona pode ser publicada gratuitamente como colaboração em seu site, jornal, revista ou boletim, desde que mantidas na íntegra as referências acima.