Alta-ajuda
por Mario Persona



Alta-ajuda

😉 Já viu na Bíblia aquela passagem onde Deus diz “Ajuda-te que eu te ajudarei”? Não deve ter visto porque ela não está lá. É frase comum em livros de auto-ajuda e eu particularmente não acredito em auto-ajuda. Quando jovem acreditava. Achava que meu umbigo seria capaz de dirigir minha vida, mas depois aprendi que não.


Aos 23 anos de idade voltei ao princípio que minha mãe escrevia numa tirinha de papel que me acompanhava à escola em dias de prova: “Tudo posso com a ajuda de Cristo”. A frase é encontrada na carta de Paulo aos Filipenses e coloca a fonte desse “tudo” em Jesus. É por isso que hoje não acredito em “auto-ajuda”, mas em “alta-ajuda”. A ajuda que vem do alto.

Portanto, se você está a mil, com a corda toda, confiando no seu taco e se achando a última bolacha do pacote, esta mensagem de fim de ano não é para você. Independente, cheio de confiança própria e auto-suficiente, você não iria aceitar o que vem a seguir. Como dizia meu pai, primeiro vai ter que fumar um rolo de fumo e comer um saco de sal. Volte mais tarde.

Hoje quero conversar com quem chegou ao fundo do poço, ao fim da picada e está num mato sem cachorro. Quero conversar com quem está desorientado com os atropelos do ano que passou e sem rumo para o ano que está esperando o sinal abrir só para atropelar. Se você for alguém que nem livro de auto-ajuda lê mais, por ser incapaz de encontrá-lo sozinho na prateleira da livraria, esta mensagem é para você.

Uma mensagem que nem é de minha autoria, mas de uma escritora chamada Laura Anna Barter Snow, que viveu na segunda metade do século dezenove. Laura escreveu como se fosse uma carta de Deus para você. É a minha mensagem de um feliz — e muito bem acompanhado — ano novo.

Mario Persona



Os desapontamentos da vida

Os desapontamentos da vida são, na realidade, apenas determinações do meu amor. Hoje tenho uma mensagem para você. Vou segredá-la suavemente ao seu ouvido para que, quando as nuvens que anunciam a tormenta surgirem, sejam douradas de glória. E para que sejam quebrados os espinhos nos quais você talvez tenha que pisar.

A mensagem é curta — uma frase apenas — mas deixe que penetre fundo em seu coração e seja para você como um travesseiro para repousar sua cabeça fatigada: Fui eu que fiz isso.

Você já parou para pensar que tudo o que lhe diz respeito também diz respeito a mim? Porque aquele que tocar em você toca na menina dos meus olhos. Você é precioso para mim e é por isso que me interesso especialmente por seu crescimento espiritual. Quando a tentação o assaltar e o inimigo avançar como uma inundação, saiba que fui eu que fiz isso.

Eu sou o Deus das circunstâncias. Você não foi colocado onde está por acaso, mas porque é o lugar que escolhi para você. Você queria ser humilde? Pois saiba que o lugar em que está é o único onde poderá aprender bem esta lição. É por meio de tudo aquilo que o rodeia e até daqueles que o cercam que a minha vontade se cumprirá em você.

Você está passando por dificuldades financeiras? É difícil viver com o que ganha? Fui eu que fiz isso, pois sou eu o dono de todas as coisas. Quero que você receba tudo de mim e dependa exclusivamente de mim. Minhas riquezas são ilimitadas.

Você está passando pela noite escura da aflição? Fui eu que fiz isso. Eu sou o Homem de dores, que sabe o que é sofrer. Deixei que você ficasse sem qualquer auxílio humano para que encontrasse em mim um consolo eterno.

Você está desiludido com algum amigo para quem abriu seu coração? Fui eu que fiz isso. Permiti esse desapontamento para que você aprendesse que sou eu o seu melhor amigo. O único que o livra de cair, que luta as suas lutas. Sim, sou seu melhor amigo. Quero ser seu confidente.

Alguém disse coisas falsas a seu respeito? Não se ire; aproxime-se de mim, esconda-se sob minhas asas, longe de qualquer discussão, pois eu farei sobressair a sua justiça como a luz e o seu juízo como o meio-dia.

Seus planos foram frustrados? Você se sente esmagado e abatido? Fui eu que fiz isso. Acaso não foi você quem fez os planos e depois pediu que eu os abençoasse? Pois sou eu quem quer fazer os seus planos. Eu cuidarei de suas responsabilidades, pois são pesadas demais para você; não as poderia levar sozinho. Você não passa de um instrumento.

Alguma vez você desejou muito fazer uma grande obra para mim? E, em vez disso, acabou num leito de sofrimento e dor? Fui eu que fiz isso. Não podia prender a sua atenção de outra forma, enquanto estava tão ativo. Quero lhe ensinar algumas das minhas lições mais profundas. Somente os que aprenderem a esperar pacientemente é que podem me servir. Meus melhores obreiros costumam ser aqueles que foram colocados fora do serviço ativo para aprenderem a manejar melhor a arma chamada oração.

Você foi chamado de repente a ocupar uma posição difícil, de grande responsabilidade? Vá em frente, conte comigo. Estou colocando você nessa posição cheia de dificuldades simplesmente porque quero abençoá-lo em tudo aquilo que você fizer.

Ponho hoje em suas mãos um vaso de azeite. Tire dele o quanto quiser, para que cada circunstância em seu caminho, cada palavra que o magoe, cada obstáculo que ponha sua paciência à prova, cada manifestação de sua fraqueza, possa receber o bálsamo desse óleo.

Lembre-se de que os obstáculos são instruções divinas. A dor que sofrer será na medida em que você me enxergar em todas as situações. Portanto, conserve em seu coração todas as palavras que eu lhe disser, pois são elas a sua vida. – Laura Anna Barter Snow (1864-1939) [>> Envie a um amigo >>]

Use o formulário abaixo para comentar.

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

Descobrindo Deus nos Lugares Mais Inesperados
Philip Yancey

Os balcões de indulgências deixaram de funcionar há séculos, entretanto o cristianismo institucional, clássico, conservador, burocrático, ou seja lá qual for o nome que melhor lhe couber, ainda afirma – senão explicitamente, pelo menos na sutileza das entrelinhas dos sermões bradados no púlpito e pautados pela conveniência do poder temporal: “A igreja é o único lugar onde é possível ter um encontro com Deus”. Sacramentos, profecias e curas são algumas das evidências apresentadas em defesa da mesma fé cartorial que Jesus condenou.

Em Descobrindo Deus nos Lugares Mais Inesperados, Philip Yancey também contesta esse monopólio. Textos originais, artigos, anotações e relatos foram reunidos numa edição atualizada e ampliada de uma de suas obras de maior sucesso. Nela, o escritor aponta para o inusitado: o Criador manifesta-se nas ruas estreitas e sujas de uma favela; na placidez de um grupo de baleias; no ascetismo de uma academia de ginástica; nas celas fétidas de uma penitenciária; na genialidade de uma peça de Shakespeare.