ENTREVISTA

MARKETING PESSOAL

O que podemos definir como Marketing Pessoal? 

Mario Persona – O marketing pessoal traz os mesmos fundamentos do marketing institucional, de marca ou produto. Como em qualquer outra situação seu planejamento de marketing envolve detectar, analisar e atender necessidades e desejos de pessoas, agregando valor e gerando lucratividade. Enquanto no marketing empresarial quem planeja é uma segunda entidade, e não o próprio produto, no marketing pessoal o produto é o ser humano com suas habilidades, capacidades etc. Isto torna o marketing pessoal muito mais sensível às consequências de uma abordagem mal feita, pois não é possível tirar esse tipo de produto do mercado por falta de qualidade ou substituí-lo por outro.

O que é mais importante nesse contexto: a imagem que a pessoa passa ou temos outros fatores relevantes?

Mario Persona – O marketing pessoal não vive só de imagem, porque imagem é algo transitório. No marketing pessoal o que vale é a impressão que a pessoa causa em outras pessoas. Ao contrário do que muitos pensam, cuidar de seu marketing pessoal não se trata de tomar um banho de loja ou andar na última moda. Também não se trata de fazer propaganda de si mesmo. O mais importante no contexto do marketing pessoal é criar devedores.

Sempre que faço uma gentileza a alguém, essa pessoa fica devendo um favor. Não se trata de coisas como emprestar dinheiro, mas simplesmente de ser gentil e ajudar os outros. Quando somos ajudados por alguém ficamos com essa marca em nossa memória e sempre que surge uma oportunidade falamos bem dessa pessoa, voltamos a comprar dela ou a indicamos a outros clientes. É principalmente sobre isso que repousa o marketing pessoal: produzir formadores de opiniões favoráveis a nosso respeito, e isso não se faz com propaganda, mas com gestos.

É claro que coisas relacionadas à imagem exterior também são importantes, e também é importante que você seja conhecido no mercado onde atua. Mas um mero invólucro pode criar ilusões e levar a decepções. É o caso daquele cara que conhece uma menina lindíssima e fica apaixonadíssimo por ela até a garota começar a falar. Aí o sonho se desfaz, porque ela não passa de uma embalagem vazia. 

Ser conhecido no mercado também não é garantia de sucesso em marketing pessoal se você não for alguém que corresponda às expectativas que sua imagem desperta nas pessoas. Se um profissional for maravilhoso por fora, mas totalmente relapso e incompetente por dentro, é melhor que ninguém o conheça até ele sanar essas falhas. Quanto mais famoso fica um produto de má qualidade, mais difícil é mudar esse conceito na mente das pessoas, por mais que sua qualidade seja aprimorada.

O profissional que sabe vender suas qualificações possui maiores chances de evoluir na empresa?

Mario Persona – Sim, saber vender é algo que todo curso profissionalizante deveria ensinar, pois ninguém terá sucesso em qualquer profissão se não souber vender sua capacidade. Um currículo ou uma entrevista de emprego são, na verdade, ações de venda. Você tem um cliente em potencial procurando por alguém que lhe forneça algo de valor, e esse alguém poderá ser você, se souber vender seu peixe.

Quem sabe se vender bem também consegue conquistar outra vantagem, que é a capacidade de ser comprado. Bons profissionais vão deixando um rastro de satisfação por onde passam e isso acaba se transformando em seu melhor argumento de venda. O melhor dos mundos é quando você para de se vender e passa a ser vendido por seus clientes satisfeitos. Então não é você quem procura por clientes, mas é procurado por eles. Você deve conhecer pessoas que não fazem qualquer esforço para terem a agenda cheia, mas é bom saber que essas pessoas também nasceram peladas como você e precisaram construir essa roupagem que agora atrai tantas oportunidades.

Quais as características mais apreciadas pelas empresas?

Mario Persona – São muitas. Acredito que dinamismo é uma delas. Pessoas dinâmicas fazem as coisas acontecer, são pró ativas e assumem riscos na tomada de decisões e resolução de problemas. As pessoas com maior probabilidade de sucesso na carreira são aquelas de iniciativa, que deixam uma marca positiva por onde quer que passem. 

Outra qualidade importante é a vontade de enfrentar desafios, pois profissionais assim não fogem de problemas. Ao contrário, costumam correr atrás deles e consideram um desafio solucioná-los. Gente que reclama ou faz corpo mole sempre que precisa sair da rotina ou experimentar algo novo é uma espécie que corre o risco de extinção no mercado de trabalho.

Vontade de aprender e flexibilidade são outras qualidades importantes. É claro que você não vai chegar numa empresa dizendo que está ali para aprender, porque empresa nenhuma vai querer investir no seu aprendizado só para você cair fora depois. A empresa quer que você transforme o que aprender em valor. É preciso lembrar que empresa nenhuma contrata alguém por seus belos olhos, mas para lucrar em cima do trabalho daquela pessoa. Se você não conseguir justificar sua função, isto é, se não conseguir calcular quanto traz de lucro para a empresa, é melhor se cuidar porque logo vão descobrir que você é dispensável.

Um profissional tímido também pode ter um bom marketing pessoal? O que fazer?

Mario Persona – A timidez não é necessariamente um impedimento para o marketing pessoal. Tímidos também são capazes de agregar valor à vida das pessoas com as quais interagem, e é isso o que importa. É preferível ser um tímido que está sempre disponível e disposto a ajudar, do que um falastrão que fala pelos cotovelos e não move uma palha pelo benefício das pessoas e da empresa. 

Mas ainda que a timidez possa ser contornada, a audácia não. Pessoas audaciosas e dispostas a correr riscos calculados e com bom senso são mais propensas a alcançar o sucesso, do que aqueles que sempre ficam esperando que outro tome a iniciativa. Timidez na comunicação é uma coisa, timidez na ação é outra. Podemos ser tímidos para falar, mas não devemos ser tímidos para agir.

Entrevista concedida ao Jornal Carreira & Sucesso em 10/02/2010.

Entrevistas como esta costumam ser feitas para a elaboração de matérias, portanto nem tudo acaba sendo publicado. Eventualmente são aproveitadas apenas algumas frases a título de declarações do entrevistado. Para não perder o que eu disse na hora da entrevista, costumo gravar ou dar entrevistas por escrito. A íntegra do que foi falado você encontra aqui. Se achar que este texto pode ajudar alguém, use o formulário abaixo para compartilhar.

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja emwww.mariopersona.com.br