Feliz Humor Novo!
por Mario Persona



Não importa quais os seus planos para o novo ano, não vou repetir o “Feliz Ano Novo” que você já recebeu de montão. O que desejo a você de verdade é um “Feliz Humor Novo”. Porque se tudo aquilo que você planejou para o novo ano der errado, tem uma coisa que ainda pode dar certo: o humor.


Você não ri quando vê o Gordo levar uma torta do Magro na cara? Ou quando o Gato se arrebenta na hora de pegar o Rato? Oras, lembre-se do quanto você riu dos dois ladrões de “Esqueceram de mim”! E eles só se lascaram, não foi?

Entendeu agora por que desejo a você um “Feliz Humor Novo”? É porque o bom humor é algo que depende mais de você do que dos outros ou das circunstâncias. E é uma das coisas que mais influenciam os outros e faz com que gostem de você.

Se há uma coisa que me tira do sério são pessoas que saem do sério por qualquer coisa. E quando digo que saem do sério, não é por ficarem risonhas e divertidas, muito pelo contrário. Nessa nossa misteriosa língua portuguesa, na qual “pois não” quer dizer “sim” e “pois sim” quer dizer “não”, sair do sério significa ficar mais sério ainda.

Sair do sério significa perder o senso de humor, que é outra palavra que pode significar mais de uma coisa. Além do humor ser a capacidade de rir da piada sem precisar que o outro explique, e um estado de espírito alternativo para encarar os reveses da vida, humor é também o nome dado a alguns fluidos secretados pelo corpo, como a bile.

Quer dizer que quando vem aquele gosto amargo na boca, isso é humor? Pois é, eu também não entendi. Mas até que faz sentido, se você pensar que existe também o mau humor, que está para o bom humor assim como o mau colesterol está para o bom colesterol.

Só que aí as coisas funcionam ao contrário. Geralmente o mau colesterol você ganha quando está de bom humor, depois de comer aquela bela picanha bem gorda e tirar uma soneca de três horas na rede. E o bom colesterol? Troque a picanha por um suco de alfafa e vá malhar durante três horas. Depois tente sorrir.

Mas, independente do que você come, o bom humor pode ter o papel de um bom colesterol. Pessoas bem humoradas são mais ativas, felizes e positivas. Atacam menos o fígado — delas e dos outros — e não precisam tomar antidepressivo. Pelo menos essa é minha opinião, mas se você discordar e achar minha teoria uma piada, então ria. Também vai funcionar.

Geralmente o humor exige uma vítima que nos faça sentir superiores. Sou palestrante e sei que o público mais difícil é aquele formado por pessoas muito sofisticadas, porque elas só riem se puderem se sentir superiores ou se acharem o palestrante um perfeito idiota. Nas minhas palestras elas sempre riem.

O humor ajuda em meu trabalho de escritor e palestrante por permitir criar situações que ajudam a assimilar a mensagem. Alguém já disse que fazer rir é uma excelente estratégia de ensino, por isso quando meus alunos estão rindo, eu aproveito as bocas abertas e enfio a informação diretamente em seus cérebros.

É fácil entender o poder do humor no aprendizado. Você seria capaz de repetir um texto que leu apenas uma vez há dez anos? Provavelmente não, a menos que seja uma piada. Você se lembra dela, inteirinha, do jeitinho que leu, não é mesmo? Então pode acrescentar ao seu dicionário mais um significado para a palavra humor: adesivo cerebral.

Sempre fiz uso do humor em minhas aulas. Às vezes eu brincava até enquanto os alunos faziam prova, para aliviar a tensão. Foi o que aconteceu um dia, quando eu disse brincando que os cientistas descobriram que o cabelo do topo de nossa cabeça arrepia quando a gente faz o que é proibido. Para minha surpresa vários alunos passaram a mão na cabeça.


POSFÁCIO

Puxa, estamos quase lá, né? Parece que foi ontem a véspera de hoje! Minha caixa postal já recebeu tantas mensagens de Boas Festas e Feliz Ano Novo que fica difícil ser criativo numa época assim.

Além disso, pelas estatísticas de visita ao site dá pra ver que muita gente já está de férias ou só faz de conta que está trabalhando.

E tem ainda quem é obrigado a participar daquelas festas de confraternização e tem o azar de tirar o chefe no amigo secreto. Aí gasta o décimo terceiro inteiro para comprar uma camisa de seda para ele e em troca ganha um CD de sucessos de novela da Globo. Da novela de 1984.

Então, aproveite todos os votos de Feliz Ano Novo que já recebeu, e acrescente os meus votos de um Feliz Humor Novo.

resenha resenhas resumo resumos livro livros crítica críticas opinião opiniões literatura literaturas comentário comentários

O Melhor Conselho Sobre Investimentos que eu Já Recebi
LIZ CLAMAN
Neste livro a autora reúne o que chamou de inestimável sabedoria financeira que encontrou em Warren Buffett, Jim Cramer, Suze Orman, Steve Forbes e dezenas de outros especialistas financeiros. E se eles, ou outros especialistas tão famosos quanto, lhe contassem seus maiores segredos de investimentos – os segredos restritos apenas aqueles que convivem em seus círculos de amizade? Pela primeira vez e com suas próprias palavras, os mais bem-sucedidos investidores e administradores resumiram suas estratégias de investimentos em pontos fundamentais, divulgando o que eles acreditam ser o conselho mais importante sobre investimentos que poderiam anunciar. O livro traz ainda depoimentos de brasileiros como Roberto Irineu Marinho, Mauricio Botelho, Roberto Setubal e Emílio Odebrecht.