O spam que recebi dizia: “Mandar millones de -mails sí funciona y funciona muy bien…”. Será? Se funciona, como é que esse e-mail inoportuno veio parar em minha caixa postal?
É que a mensagem explicava assim: “Existen alrededor de 7.1 Millones de e-mails pertenecientes a Mexicanos, nuestra base alcanza los 3,000,000, base que tenemos segmentada en un 60%. Nuestras bases crecen y se actualizan diariamente.” Oh! Descobriram que sou mexicano!
Mas será que existe alternativa de marketing digital para a pequena empresa ou profissional liberal sem emporcalhar a Internet com spam? Sim, existe. A primeira providência é ter um site com bastante conteúdo espalhado por um grande número de páginas. Isso criará uma maior visibilidade nos sites de busca. Sabia que este blog ajuda a atrair visitantes ao meu site?
A segunda providência é ter uma boa assessoria de imprensa para ajudar a construir sua marca garantindo que ela seja notícia sempre que acontecer um fato novo. Isso ajudará a ter seu endereço na web divulgado por sites de notícias ou revistas on-line, além de poder chegar a outras mídias, se o assunto for relevante.
A terceira providência é oferecer artigos de interesse para outros sites publicarem ou dar palpites em blogs como este, tomando o cuidado de incluir o endereço de seu site.
Isto ajudará para que mais páginas na Internet apontem para o seu site criando um melhor posicionamento deste nos serviços de busca que fazem análise de relevância e de referência na hora de posicionar um endereço nos resultados de uma busca. Os sites com maior número de referência na Web costumam ganhar os primeiros lugares nos resultados das buscas.
A providência seguinte é criar um boletim eletrônico periódico grátis que apenas assinantes recebam. Não estou falando de você criar uma possibilidade de alguém assinar para receber propaganda, a velha idéia do opt-in (Mamãe! Veja! Optei por receber toneladas de propaganda!). Acho que pouca gente estaria interessada em receber todas as semanas uma mensagem dizendo que seu produto é o melhor que existe e todo aquele blá-blá-blá que costuma encher nossa caixa postal.
Estou falando de assuntos de interesse. É claro que sua propaganda vai aparecer em algum lugar do boletim, mas não será ela o motivo das pessoas assinarem. Você entraria em uma banca para comprar uma revista só de propaganda? Se você tiver, por exemplo, uma editora, aposto como existiria mais gente interessada em receber uma sinopse semanal de um livro do que uma lista de “novos lançamentos”, como a maioria faz.
Fiz tudo isso como estratégia de marketing para meu próprio negócio e se você fizer algumas buscas no www.google.com verá que os resultados são até satisfatórios. Minha meta, como profissional da área, é atrair qualquer pessoa que faça uma busca por palavras como “palestrante”, “palestras”, “workshops”, “seminários”. No momento em que escrevo esta, fiz uma busca pela palavra “palestrante” e, dentre 43.000 resultados, meu site aparece em terceiro lugar. Nada mal, hein?
É claro que isso pode mudar todos os dias, à medida que novos sites contendo “palestrantes”, “workshops”, “treinamentos” etc., entram no ar, e isso é mais uma razão para eu não parar de alimentar a Web com textos de interesse como este. Há três meses, eu aparecia na mesma busca em primeiro e segundo lugar dentre 34.600 páginas. Entendeu como funciona?
Há três meses, buscando por “planejamento estratégico” eu encontrava meu site em terceiro e quarto lugares dentre 40.700. Hoje? 44º dentre 41.600. Isso significa que entrou muita gente de lá para cá oferecendo a mesma coisa – planejamento estratégico – ou com palavras mais relevantes em seus textos.
Se eu procuro agora por “comunicação e marketing” (sim, faça buscas de frases sempre entre aspas), uma das páginas de meu site, que fala de “comunicação e marketing”, vai aparecer em quinto lugar dentre 11.400. Há três meses a mesma busca por “comunicação e marketing” me colocava em segundo e terceiro lugares dentre 7.660.
E uma busca por “marketing pessoal”? Estava em terceiro e permaneço, ainda que o número de sites contendo “marketing pessoal” tenha aumentado. E por aí vai.
Obviamente para obter esses resultados há muito trabalho envolvido, inclusive ficar repetindo palavras como “palestrante” nesta página com risco de parecer redundante a quem lê. Mas é este o verdadeiro marketing digital. Não se trata de espalhar e-mails para todo mundo na base da panfletagem, mas de se criar uma estrutura de comunicação de uma marca que agregue valor à mensagem.
Aposto como você aprendeu algo lendo esta página, que funciona dentro da filosofia da flor e da abelha. A flor atrai a abelha com a condição desta levar o pólen a outras flores, polinizando e gerando mais vida. Pronto, já atraí você e ofereci algum nectar. Se achou que este texto adoçou seus conhecimentos, que tal sair por aí polinizando para mim?